METADE DOS PORTUGUESES JÁ FORAM INFIÉIS AO VER SÉRIES DE TELEVISÃO

Publicado em 17 Fevereiro, 2017 Por...Maria Cordeiro » Artes, Curtas, Destaque, Netflix, Slider

Nenhuma relação está a salvo. E mesmo a fidelidade entre companheiros de streaming também não escapa a traições. É isso que revela um estudo elaborado pela Netflix, segundo o qual quase metade (46%) dos casais em todo o Mundo que veem televisão por streaming já “traíram” a sua cara-metade. Portugal não foge à média mundial e é um dos mais fiéis da Europa, com 45% dos casais a confessar que foram infiéis. O que é que isto significa? Significa que esta percentagem de portugueses não consegue esperar pelo seu parceiro de streaming (amigo/a, familiar, namorado/a)  para ver uma determinada série em conjunto e decidiu ver os episódios a sós.
A traição com a Netflix (ou Netflix Cheating) foi “identificada” pela primeira vez em  2013 num estudo nos EUA. Quatro anos mais tarde, a traição triplicou e tornou-se num comportamento comum em todo o mundo. Este comportamento continua a aumentar com 60% dos consumidores a revelarem que cometeriam mais traições se soubessem que não seriam apanhados. E traindo a primeira vez, já não é possível parar: 81% dos traidores são reincidentes e 44% já o fizeram 3 vezes ou mais. Neste caso, em Portugal apesar de trairmos menos, a percentagem de reincidentes é mais elevada e sobe para 86% e mais de metade (51%) já traiu 3 vezes ou mais.
O chapéu branco utilizado por Michael Jackson no vídeo oficial de ‘Smooth Criminal’, do musical ‘Moonwalker’, foi recentemente arrematado em leilão, por 10 mil euros. Com pessoas de todo o mundo a participarem no leilão, o novo detentor deste objeto de culto do ‘Rei da Pop’ é um colecionador belga.
ONDE ACONTECEM AS TRAIÇÕES? (EM TODO O LADO)
As traições ocorrem em todo o mundo, embora existam algumas variações consoante os países. Entre os “maiores traidores” estão o Brasil e o México onde respetivamente 58% e 57% dos casais de streaming já traíram os parceiros. Entre os países mais fiéis estão a Holanda (73% dos inquiridos afirmam que nunca cometeram traição), a Alemanha (65%) e a Polónia (60%). Portugal fica a meio da tabela, com 55% dos casais a afirmar que não cometeram “infidelidades” com a Netflix.
QUAIS AS SÉRIES EM QUE TRAÍMOS? (TODAS)
Qualquer série é alvo de traições, mas mundialmente as que provocação mais infidelidades são The Walking Dead, Breaking Bad (Ruptura Total), American Horror Story, House of Cards, Orange Is The New Black, Narcos e Stranger Things. Em Portugal, o Top 5 das séries que provocam mais “traições” é composto por uma mistura entre comédia e drama. O “campeão das infidelidades” é A Teoria do Big Bang, seguido de The Walking Dead, Narcos, Foi Assim que Aconteceu e Uma Família Muito Moderna.
PORQUE É QUE TRAÍMOS? (NÃO CONSEGUIMOS EVITAR)
A maioria não tenciona trair… É algo que acontece: 80% das traições não são planeadas. Mas de quem é a culpa desta tendência crescente de deslealdade? Dois terços (66%) dos traidores mundiais afirma que “as séries são tão boas que não conseguimos parar de ver.” E nós não somos diferentes: 60% dos portugueses inquiridos não conseguiu parar de ver a série.
COMO É QUE TRAÍMOS? (DE TODAS AS FORMAS QUE PUDERMOS)
É melhor começar a dormir com os olhos abertos: 25% das traições acontecem quando a cara-metade adormece mesmo ao lado do prevaricador. Mas esta “traição” é alvo de debate. Mundialmente metade considera que “traição a dormir” não conta (53%) e em Portugal esse sentimento sobe para 76%. Mas nem todos veem isso da mesma forma. Os chilenos não acham que seja importante, mas para os japoneses é imperdoável.
Muitos mantêm as suas infidelidades em segredo: 45% nunca confessa as suas indiscrições.
A TRAIÇÃO É ASSIM TÃO MÁ? (DEPENDE ONDE VIVES)
Se te desviares do caminho da virtude, não te sintas muito mal. A traição tornou-se algo socialmente aceitável, com mais de 46% dos inquiridos em todo o mundo a dizer que “não é nada de grave”. Por cá somos ainda mais benevolentes, já que esta é a opinião de 56%. A perspetiva muda se vives em Hong Kong, onde 40% dos inquiridos considera que ver antecipadamente um ou mais episódios de uma série é pior do que ter mesmo um caso extraconjugal.

Comentários fechados