LINKIN PARK: novo álbum dia 16 de Junho

Publicado em 11 Junho, 2014 Por...Mafalda Matos » Discos, Musica, Vídeos

lp

Duas semanas após o estrondoso regresso a Portugal, tendo actuado no palco Mundo do Rock In Rio para mais de 68 mil fãs, os Linkin Park editam agora novo trabalho de originais.
“The Hunting Party” é o sexto trabalho de estúdio dos Linkin Park e tem edição marcada para 16 de Junho, do novo trabalho já conhecemos temas como “Guilty All The Same” e o novo single “Until It´s Gone”.  Também já estão disponíveis no iTunes temas  como “Wastelands” , “Rebellion” e “Final Masquerade”, músicas já disponíveis em exclusivo via pré-encomenda, ocupando já o top 10 da tabela dos mais vendidos. “The Hunting Party” está já disponível também no iTunes para audição em streaming.
O Multi-instrumentista e vocalista Mike Shinoda explica a sonoridade do álbum, “Fiz algumas demos mais “pop alternativa”. Mas, então, encontrei um blog chamado “Rock Sucks Right Now and it´s Really Depressing.” (O Rock de hoje não presta e é realmente deprimente”). E pôs-me a pensar… . Acabei a escrever uma resposta a isto, e apercebi-me que aquilo em que tinha estado a trabalhar, não era realmente aquilo que queria fazer”. Frustrado com a sobredosagem de “soft indie” e de pop em rádios de natureza rock, Shinoda decidiu liderar o regresso da banda às suas raízes, à razão pela qual originalmente tomaram a decisão de fazer uma banda. “Quando penso em mim aos 15 anos, lembro-me das emoções serem tão cruas e ilógicas. Não tinham sido amolecidas pela experiência. Eu gostava de música que fosse lírica ou sonoramente ofensiva – qualquer coisa que chateasse os meus pais. Tivemos que voltar aí, para fazer este disco”. Assim, elementos de punk hardcore, thrash metal, ou dos pioneiros do hip-hop coo Kool G Rap e Big Daddy Kane, foram incorporados como influências-chave no disco.
THE HUNTING PARTY
“War” é talvez a malha mais acutilante já gravada pelos Linkin Park. Em “Rebellion” encontramos Daron Malakian dos “System of a Down”, em duelo vocal com Shinoda e Chester Bennington.
Enquanto os Linkin Park nunca tiveram receio de explorar as suas influências, em “The Hunting Party” exploram mesmo activamente as suas raízes – a lenda do Hip-Hop Rakim versa em “Guilty All The Same”; “All for Nothing” conta com Page Hamilton dos Helmet, em “Drawbar podemos encontrar o lendário guitarrista dos Rage Against the Machine Tom Morello, em “Rebellion” encontramos Malakian, também dos incríveis “System of a Down”.
Trabalhar ao lado de lendas deste calibre, é a manifestação real das influências da banda, como se o seu íntimo de 15 anos de idade, tivesse escrito a sua lista de colaboradores de sonho.
Ser uma banda com uma visão sónica única ao sexto álbum tem as suas vantagens. “Há uma intimidade e energia quando tocamos juntos que acredito que esteja registado neste disco” afirma Shinoda sobre o novo álbum. A abordagem a este trabalho ajudou a desenvolver o som: “The Hunting Party” marca a estreia da banda na produção de um trabalho seu e, pela primeira vez, as gravações assentam no registo analógico. É o som de velhos amigos a fazerem música dentro de um quarto. “O processo de gravação em fita e de preservar as melhores interpretações, foi definitivamente um dos elementos chave na criação do som de “The Hunting Party”.
Correndo o risco de soar a uma sequela do álbum estreia “Hybrid Theory”, Brad Delson, guitarrista dos Linkin Park, explica “este não é um regresso a um estilo ou a um som: é o regresso ao “ethos” e inspiração – ao que nos juntou. É o resultado da sede de música que não encontramos, neste momento, em mais lado nenhum”.

 

 

Comentários fechados