Festival Para Gente Sentada

Publicado em 18 Fevereiro, 2014 Por...Jorge Silva Medeiros » Artes, Musica

turNo dia 30 de Março, o Europarque de Santa Maria da Feira acolhe, pela primeira vez, a intimidade do Festival Para Gente Sentada. Na sua 10º edição, o festival aposta num espaço diferente, na sua cidade de sempre, mantendo o formato de um único dia. You Can’t Win, Charlie Brown e The Veils actuam na parte vespertina do Festival Para Gente Sentada, que terá início às 17h. Na segunda parte, nocturna, com início marcado para as 21h, sobem ao palco, primeiro Walter Benjamin, seguido da grande revelação de 2013 da música nacional, Gisela João, a quem cabe o encerramento do Festival Para Gente Sentada. Os bilhetes têm o preço único de 20€.

GISELA JOÃO

Eleito Disco do Ano pelo Público, Blitz e Time Out, o álbum de estreia homónimo de Gisela João já conquistou o galardão de Ouro. A fadista actua no Festival Para Gente Sentada poucos meses após ter esgotado o CCB, em Lisboa e a Casa da Música, no Porto. Natural de Barcelos, onde conheceu o fado através da rádio, Gisela João ainda passou pelo Porto para estudar design de moda mas acabou por se mudar para a Mouraria. Como canta, nas palavras finais da música que encerra o seu disco de estreia: «Não é fadista quem quer, mas sim quem nasceu fadista».

THE VEILS

“Gosto de imaginar Roy Orbison com os Stooges, a passarem um dia bizarro no meio do deserto” partilha o vocalista e compositor Finn Andrews dos The Veils, num statement que define a polaridade agridoce da banda. “Time Stays, We Go” é o 4º album dos The Veils, editado pela Pitch Beast Records, etiqueta de que são proprietários. Há muito que Finn é apontado como um dos mais versáteis e talentosos músicos da sua geração, por meios como o NME ou LA Times. Para confirmar, no Festival Para Gente Sentada.

WALTER BENJAMIN

O português Walter Benjamin, escritor de canções outrora sediado em Londes lançou o seu registo de estreia, The National Crisis, em 2007 a que se seguiram vários EP’s e o último álbum, The Imaginary Life of Rosemary and Me, editado em 2012 pela Pataca Discos. Walter Benjamin já colaborou com nomes internacionais como os Geffin Brothers e Jakob Bazora e nacionais, como B Fachada, Noiserv ou You Can’t Win Charlie Brown, tendo produzido o álbum de estreia da cantora Márcia. Em Dezembro de 2013 foi convidado das noites Black Baloon para executar na íntegra o álbum ‘The Queen Is Dead’, dos britânicos The Smiths, perante uma plateia esgotada na discoteca Lux em Lisboa.

YOU CAN’T WIN,CHARLIE BROWN

“Diffraction / Refraction”, o segundo longa-duração dos YCWCB, que assinam a produção, é um disco muito mais desafiador do que o álbum de estreia, “Chromatic”. Partilham ambos a marca dos YCWCB: harmonias vocais exemplarmente construídas, combinação entre elementos folk e electrónicos, diversidade rítmica, construção de ambientes quase sinfónicos mas, no segundo álbum, o grau de sofistificação é superior, fruto do crescimento dos músicos, em estúdio e na estrada, com alguns momentos altos: uma mini-tour nacional em companhia dos PAUS, uma sala cheia no Cinema São Jorge, a participação no Optimus Primavera Sound 2012, as duas apresentações no South by Southwest, Texas, a interpretação do álbum “Velvet Underground & Nico” em dois concertos ([email protected], Lisboa e Primavera Club, CCVF, Guimarães) e, ainda, o registo ‘live-in-the-studio’ [email protected]


Editor de música Jorge Medeiros tenta saber e dizer algo sobre cultura do Mundo. Vive principalmente de radio e da sua fina cabeça, também da internet e do seu site de musica.

Comentários fechados