Em contagem decrescente: está quase a chegar Monte Verde Festival 2017!

Publicado em 6 Agosto, 2017 Por...Xana Santos » Curtas, Destaque, Slider

 

 

É já esta quinta feira que arranca mais uma edição, a maior e mais ambiciosa de sempre, uma celebração da música, da arte, da língua e do mar que reúne de artistas de várias áreas num cartaz de quatro intensos dias.
Ao todo 39 concertos, 3 palcos, a 6.ª edição do festival arranca amanhã com a festa de boas-vindas aos festivaleiros no Largo Conselheiro Hintze Ribeiro, em frente à Câmara Municipal da Ribeira Grande.

 

Seguem-se três dias de festival, de 11 a 13 de agosto, com inúmeros artistas regionais, nacionais e internacionais. No recinto, o público irá ter à sua disposição dois palcos, o Palco Azores Airlines e o Palco Delta.

 

Ao longo dos três dias de festival irão decorrer na praia do Monte Verde diversas atividades, desde aulas de surf e bodyboard passando por aulas de yoga, torneios de vólei e até bubble fut.

 

A edição deste ano contará também com algumas novidades. Destaque para o sistema bottoms up beer, um sistema inovador no serviço de cerveja. O sistema cashless voltará a estar presente no festival e o recinto voltará a estar coberto de verde, com o tapete de relvado sintético que tantas críticas positivas fez surgir no último ano.
Últimos bilhetes disponíveis nos pontos de venda habituais e na bilheteira do recinto.
Festa de boas vindas
Crise, Dj Glue, MGDRV, Orlando Santos & The Baggatels e Slow J dão as boas vindas aos festivaleiros na quinta-feira.

 

Palco Azores Airlines
Pelo MVF irão passar nomes sonantes da música internacional como Seu Jorge, Ella Eyre, Wolfmother e Andy C, não esquecendo os artistas nacionais como Valete e Dillaz e ainda muitos nomes do panorama musical açoriano.
Nomes que se juntam a Dub Fx, The Prototypes, Rinôçérôse, Sigala, SebastiAn, Vibe Tribe, Hills Have Eyes, Sick Addiction, Neev, Ronda da Madrugada, Passos Pesados, TIO e TóJó & Friends,

 

Palco Delta
No Palco Delta vão atuar Holly Hood e 9 Miller, dois dos rappers nacionais emergentes que mais notoriedade têm tido, e LOT, uma recente banda portuguesa que já abriu, por exemplo, para Thievery Corporation.
A estes juntam-se nomes como Banda TukáTulá, Stone Roots, Hilow, PRAT, Recover, NFG, Orlando Santos & The Bagattels num Tributo a Ben Harper, Carreiro Brothers, Ishan VS Tape, No Money e RushRap.

Comentários fechados