A consciência de John Watts

Publicado em 8 Junho, 2014 Por...Mafalda Matos » Coisas do João Goulart
Esta semana recordo os Fisher z de John Watts. Os Fisher z são uma banda de rock inglesa que tiveram o seu auge de carreira entre 1979 e 1981. A formação original era composta por John Watts (vocalista, guitarra), David Graham (baixo), Steve Skolnik (teclados) e Steve Liddle (bateria)1 . Surgem com o fenómeno da New Wave. Em 1979 lançam o seu primeiro álbum, “Word Salad”, onde se destacavam as faixas “The Worker” e “Remember Russia”. Em 1980 lançam o seu segundo álbum “Going Deaf For A Living”. Faixas como “Room Service”, “So Long”, “Crazy Girl” e “Haters” fazem deste álbum um verdadeiro clássico. Em 1981 lançam o terceiro álbum “Red Skies Over Paradise”, que continha o sucesso “Marliese”. Em 1981 os Fischer-Z tocaram no Estádio de Alvalade, Em 1987 a banda lança o seu quarto trabalho de estúdio, “Reveal”, que foi rejeitado pela crítica e foi um verdadeiro insucesso de vendas. Em 1989, voltam a tentar a sua sorte com o seu quinto álbum “Fish´s Head”, que, apesar de ser considerado razoável pela crítica, foi novamente rejeitado pelo público Em 1992 lançam o sexto trabalho de estúdio “Destination Paradise”, sendo este muito aclamado pela crítica.Depois disso, os Fischer-Z lançam mais 3 álbuns de estúdio: “Kamikaze Shirt” (1993), “Stream” (1995) e “Ether” (2002). Em 2006 os Fischer-Z tocaram no Estádio de Alvalade. Uma das grandes curiosidades dos Fischer-Z é que apesar de serem uma banda inglesa, a banda teve muito sucesso em outros países como a Austrália, Portugal, Espanha, França e Alemanha, não tendo muito sucesso na Inglaterra seu país de origem.
10447329_10152088476830841_899420650_n
Mais um dia na vida… de dentro para fora e de fora para dentro, cá vou tentando equilibrar a balança comercial das minhas trocas relacionais com o mundo em que me insiro, tentando da melhor forma possível obter um balaço positivo para a minha consciência em tudo o que faço em tudo o que dou e em tudo o que recebo. O segredo está no difícil equilíbrio razão/sentimento, controle do impulso, racionalização, pensar antes de agir, encetar os mecanismos de abordagem às dificuldades que se me deparam, enfrentar os medos com reação, não paralisar, seguir em frente, sentir, crescer, ser eu próprio, ter mente aberta, ser honesto comigo e com os outros sem me deixar “pisar”, por vezes não é fácil, mas quanto mais perto estiver de um regresso a casa de consciência tranquila, mais perto estarei do meu céu…

 

 

Comentários fechados